Publicidade

Blogay

A contribuição dos gays, lésbicas e travestis para o mundo

Perfil Blogay é editado pelo jornalista e roteirista Vitor Angelo

Perfil completo

Petição condena postura de colunista curitibano sobre a adoção de crianças por casais do mesmo sexo

Por Vitor Angelo
13/09/12 23:55

“Por mais que haja quem tente ‘desconstruir a família tradicional’, continua sendo biologicamente impossível ser filho de 20 freiras ou dois barbados. Uma certidão em que constem dois ‘pais’ e nenhuma mãe – ou 20 ‘mães’ e nenhum pai – é um absurdo patente, um abuso de autoridade por parte do Estado”, diz um trecho da coluna “A Perversão da Adoção”, de Carlos Ramalhete, no jornal “Gazeta do Povo”, no final de agosto.

O texto tenta a tese que a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) – de que casais do mesmo sexo podem ter o direito de adotar crianças – é autoritária e arbitrária para o colunista. A construção textual toda diz que família só existe biologicamente, desprezando que família também pode ser construída dentro da questão de laços emocionais e afetivos. Sem falar que confunde direito com autoritarismo, nem todos os casais gay irão adotar crianças, mas o que assim quiserem poderão fazê-lo. Estamos na área do direito, não do abuso. Distorcer algo que é um direito de alguém é, aí sim, fazer uma perversão.

Um leitor deste blog, Rômulo Zanotto, ao ler um artigo sobre como uma certa mídia está usando os homossexuais para consolidar uma mentalidade conservadora, me chamou a atenção de que não tinha citado a coluna “A Perversão da Adoção”. Eu não o conhecia. Ele então me enviou uma petição com quase de 4 mil assinaturas contra o colunista.

Além disso, ele fez uma carta aberta ao jornal gazeta do Povo e ao colunista chamado “Com Quantos Ramalhetes se Faz um Buquê de Flores!?”

“Uma criança criada por ‘dois barbados’ aprenderá a compaixão, a tolerância e o respeito muito mais que qualquer um dos netos deste Sr. Ramalhete”, diz Zanotto na carta aberta.

Mailton Albuquerque (verde) e Wilson Albuquerque, casal homossexual que registrou a filha em Pernambuco               (Bernardo Soares/JC Imagem/Folhapress)

  • Comentários
  • Facebook

35 comentários feitos no blog

  1. Geovah Paulo da Cruz comentou em 14/09/12 at 6:23

    Os homossexuais pensaram que, muito maior que o direito deles, é o direito natural da criança de ter por referência pais biológicos, masculino e feminino?
    Em tese, eu não gostaria de ser adotado por um par (casal?) homossexual. Seria alienante para uma criança explicar esta situação, vida afora. E o bulying na escola, no trabalho, na vida social?

    • Luciana Obniski comentou em 14/09/12 at 12:31

      Você, Geovah, só se esquece (e exclui) que ninguém escolhe os pais. Ninguém quer ser gerado por um doente mental (para dar um exemplo raso) e correr o risco de ter isso passado a si como herança genética, mas isso acontece a inúmeros filhos de casais compostos por uma figura feminina e outra masculina, não? A verdade é que ninguém escolhe a família que nasce (nem eu nem você, diga-se de passagem. E duvido que você tenha nascido de pais perfeitos) e aprende a lidar com isso ao longo da vida. Quanto ao bullying, ele só existe enquanto isso for exceção. E numa sociedade evoluída, a exceção deixa de existir (ou de ser tachada como diferente). É para isso – e só para isso – que devemos caminhar. Sempre.

      • Gunter Jr. comentou em 16/09/12 at 7:02

        Ou seja vamos jogar nas costas dos inocentes a responsabilidade de mudar a sociedade, enquanto isto nao acontece eles vao se explicando e sofrendo por ai, ate um dia isto nao ser mais excessao. legal ne?

        • Fernanda comentou em 16/09/12 at 20:57

          Super legal, fico feliz que vc reconheça isso… Enfim o Brasil está mudando e podemos incluir o Juninho para integrar o ramalhete de flores…

    • Celso comentou em 14/09/12 at 13:48

      Se seguirmos sua tese, uma criança branca adotada por um pai negro também estaria no direito de ser protegida, por sofreria preconceito e bullying na escola por ter pai negro. Assim, pais negros só poderiam adotar crianças negras, e pais brancos crianças brancas.

      • Carlos Hugo Winckler Godinho comentou em 14/09/12 at 15:25

        Perfeito

    • Kid&Borgo comentou em 14/09/12 at 13:57

      Oi Geovah, com G, é preferível a criança passar a vida inteira em um orfanato do que ter amor em uma família verdadeira? (Por que sim, um casal gay, pode sim compor uma família verdadeira).
      E isso se justifica por suposto Bullying sofrido pela criança?
      Deveriam ter proibido os vossos pais de o terem registrado dessa forma.
      Me conte, quanto bullying você sofreu?

      Kid&Borgo

    • Licínia comentou em 14/09/12 at 14:25

      Realmente Geovah, bem mais confortante deve ser explicar que morou num abrigo público!!!

      • Marcus comentou em 16/09/12 at 22:13

        Perfeito!

    • Luis comentou em 14/09/12 at 15:05

      Em tese vc tem a opção de ficar nas ruas e se prostituir! Muito melhor! Claro !

    • Diego Machado comentou em 14/09/12 at 15:11

      Prezado Geovah. Depois dessa declaração imagino que você tem pais que te amam demais. Porque falar que nao queria ter dois pais ou duas mães simplesmente pelo fato da opção sexual deles é viver num lar onde há tanto amor que você não perceba que ser pai/mãe independe da opção sexual. Mas depende diretamente de dar amor a quem, sem poder contestar, este foi negado.

    • Tiago comentou em 14/09/12 at 19:33

      As crianças por acaso escolhem os pais? Eu fui criado por pais evangélicos e não gostaria que isso tivesse acontecido. Cadê o meu “direito natural” (seja lá o que isso quer dizer) de ter sido criado por uma família laica?

      • Cleusa comentou em 15/09/12 at 1:36

        Perfeito!

    • Enny comentou em 22/09/12 at 10:56

      eu descordo de vc Geovah…pois se eu nao tivesse pais..eu ia querer sim ser adotada por um casal homosexual…pq eu ia querer uma familia,e eles iriam me dar algo que por muito tempo eu nao tive…carinhor e amor de familia….pra mim..contrangimento eu ia ter de na escola olharem pra mim e falarem…olha la a bastarde..orfa..isso ia me contranger e muito…agora se falassem olha la a filha dos gays eu nao ia me ofende…pq oque sempre quis ter era uma familia…e eles me deram isso.

  2. Nereu comentou em 14/09/12 at 9:35

    O amor paterno ou materno seja ele biológico ou não é a coisa mais natural do mundo.
    Quem não passa a amar uma criança convivendo com ela.
    Não tenho filhos, mas adoro meus sobrinhos uma vez que os vi nascer, crescer e se tornarem adultos.
    Agora é chegada a hora de receber os sobrinhos netos, já são duas meninas e está para chegar Davi, o primeiro sobrinho neto.
    Sentimento maravilhoso esse de ser tio, tio avô!
    Adoro qualquer criança, me divirto com elas… e as amaria de qualquer forma, filhos biológicos ou não.
    Vejo Deus no sorriso de uma criança, vejo paz, amor, alegria, piedade, misericordia…
    Quanta ignorância de um ser quando diz que dois iguais não podem cuidar de crianças como filhos.
    Tão ignorante de si mesmo e de Deus.

  3. Gunter Jr. comentou em 14/09/12 at 10:08

    Ainda estamos muito atrasados mesmo pois existem paises onde um humano pode casar por exemplo como uma cabra.
    gj

    • Anita de Souza comentou em 14/09/12 at 12:28

      É quem sabe a gente evolui até ficar igual a Índia…

      É só aumentar o nosso IDH de 84 para 134 e arrumar + 800 milhões de habitantes.

      Imagina só o que seria uma república dirigida por homossexuais com esse tipo de mentalidade.

  4. João Marcelo Silva Zigurate comentou em 14/09/12 at 10:41

    Desculpe, sr. jornalista, mas essa tal petição intenta mais que só “condenar a postura” do articulista. Os signatários afirmam que o jornal curitibano (uma empresa privada, como o UOL e a Folha) seria uma “concessão pública” e exigem “que a coluna do Sr. Carlos Ramalhete seja encerrada”. Se isso – atentar contra o direito constitucional de alguém expressar uma opinião, desde que não incorra em crime tipificado – não for evidência da estreiteza e do autoritarismo de grupos de pressão organizados contra uma só pessoa, então é o quê? Imagine: pode-se discordar de algo que o sr, escreve por aqui, nesse seu blog – e acredite, muita gente discorda -, como a defesa apaixonada de idéias liberticidas, mas não acho correto exigir que o UOL, por causa disso, tenha que o demitir por isso, sob pena de eu cancelar minha assinatura. Além do mais, sr. blogueiro, para minorar seu “desconhecimento seletivo” – e para o bem do “outroladismo” largamente praticado pelo jornalismo da Folha/UOL -, informo que também existe uma petição, na internet, que apoia o direito de o sr. Ramalhete – e de todo cidadão brasileiro – de expressar livremente o que pensa e que conta, no exato instante em que escrevo esse comentário, com exatamente 4.250 apoiadores. Portanto, tem mais signatários que a defendida pelo sr, mas que, parece-me, vem perdendo o fôlego. Talvez por causa disso mesmo o senhor venha aqui fazer sua propaganda. Eis o site da outra petição: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=Ramalhet .

    • Licínia comentou em 14/09/12 at 14:28

      Preconceito é crime e já se encontra tipificado no Código Penal, Sr. Outroladista homofóbico!

  5. Dj Braguinha comentou em 14/09/12 at 12:34

    O colunista não mentiu, ele só disse a verdade que os gays teimam em não ouvir ou adequar a eles.

    • Marcus comentou em 16/09/12 at 22:15

      Que verdade é esta que anula os direitos de pessoas perfeitamente normais em prol de uma minoria que se esmaga para estar “dentro dos padrões”? Quem será que está adequando, de fato, a verdade para um dos lados?

  6. Anita de Souza comentou em 14/09/12 at 12:46

    Eu sei que muitos gays são pessoas inteligentes e cultas embora a maioria tenha o padrão educacional do brasileiro.

    Então colunista faça um favor aos seus amigos e explique que esse negócio de condenar alguém por uma postura soa tão estranho quanto queimar livros e caçar bruxas.
    Outra questão é que vocês usam a palavra “avançado” para todo tipo de comportamento praticado por sociedades primitivas orientais.
    Legal, quando avançarmos mais segundo o conceito de vocês, estaremos escravizando populações e torrando bebês em sacrifício.

    Parece haver um certo desespero entre vocês. E preciso pensar com mais calma.

    • Tiago comentou em 14/09/12 at 19:36

      Minha cara Anita, de onde você tirou dados para compor a frase “Outra questão é que vocês usam a palavra “avançado” para todo tipo de comportamento praticado por sociedades primitivas orientais.”???
      Sinceramente fiquei curioso para saber de que raios a senhora está falando…

    • Fernanda comentou em 16/09/12 at 21:10

      Antanete Energúmena, desesperados? Acho que vc apoia que seus filhos saiam por aí torturando e matando pessoas. Se vc tivesse o mínimo de decência saberia que criaturas com o mais variado sentimento de ódio (principalmente aqueles que dizem estar do lado de algum deus) entram num blog destinados a gays para praticar violência verbal e psicológica… Na boa, acho que os desesperados são vcs…

  7. R. I. comentou em 14/09/12 at 12:52

    Esse Sr Ramalhete deveria ser processado e preso por homofobia, preconceito e racismo.

  8. ra comentou em 14/09/12 at 13:27

    Enquanto isso em São Paulo, Haddad manda os gays direto para o limbo. O PT só usou esses coitados para alcançar determinado fim agora que não servem mais vão para o lixo. Esse é o PT.Leia abaixo:

    Haddad mente que conheceu kit gay “na véspera” do veto de Dilma.

    Ontem, na sabatina da Folha, Haddad afirmou que vetou o kit gay junto com Dilma, assim que tomou conhecimento do conteúdo: “a bem da verdade, conversei com o [ministro] Gilberto Carvalho. Tinha tomado conhecimento do material na véspera.” O veto presidencial veio em 25 de maio de 2011.

    No entanto, em 19 de maio, uma semana antes, Haddad já havia admitido mudar o conteúdo, para continuar distribuindo o kit gay, como mostra o release distribuído pelo MInistério da Educação. E só admitiu mudar por pressão da bancada evangélica. Leia aqui.

    Neste mesmo dia 19 de maio, uma semana antes do veto, Haddad insistia e declarava: “Não há nada programado nesse sentido [de alterações no material]. Na terça-feira houve a entrega do material encomendado que visa combater a violência contra homossexuais nas escolas públicas do país”. Leia aqui.

  9. Luis comentou em 14/09/12 at 15:02

    Segundo esses nazistas as crianças tem o direito de ficar largadas nas ruas, favelas, lixoes e se prostituindo para comer, só não pode ter 2 pais nem 2 mães, aí já é demais. Onde já se viu. Isso é o amor cristão ! Que lindo !

  10. Ana Cristina comentou em 14/09/12 at 17:13

    O sr. Geovah tem todo direito de manifestar sua homofobia, seu ódio aos gays, lésbicas, travestis e afins. Eh apenas um ponto de vista “ignorante”, bem como boa parte da sociedade brasileira, que vigora no Estado em que vivemos. Eu sou lésbica, pago meus impostos, tenho curso superior. E quem é o sr. Geovah na fila da sopa??

    • Tiago comentou em 16/09/12 at 21:54

      Tenho ensino superior, mestrado e finalizando um doutorado… e acredito ser muito mais ignorante o fato de aceitar dois barbados como pai e “mãe”. E não, não sou ignorante como querem travestir (viu como essa palavra tem um contexto específico) todos e quaisquer comentários que sejam contrários aos seus. Se não concordar: ignorante, não sabe de nada, e etc etc e etc. Retórica evasiva e sem sentido. Tem que melhorar muito ainda.

  11. Danny comentou em 14/09/12 at 18:52

    Na verdade, a lógica, consciente ou não, da conservadora (?) sociedade brasileira é: não tire a sujeira de baixo do tapete!
    Crianças abandonadas, favelas, gente pobre feia e fedida, gays, índios, ex-detentos, sem-terra e sem-teto são todos invisíveis na sociedade brasileira. A gente passa pelas ruas e não os vê, se nos pedem esmolas, no semáforo, automaticamente levantamos o vidro, se batem em nossas portas dizemos “não era ninguém”. Preferimos manter os olhos fechados e ignorar o problema. “O que os olhos não veem, o coração não sente”. Por isso a luta dos homossexuais pelo reconhecimento de seus direitos civis, afasta um pouco a capa de invisibilidade que envolve todos aqueles que não “existem” aos olhos da sociedade e os torna visíveis. Isso traz à tona sentimentos com os quais não queremos lidar (ou, talvez, não estejamos preparados para lidar).
    Não existe nenhuma comprovação científica de que crianças criadas por homossexuais teriam algum tipo de problema de desenvolvimento emocional. Eu, particularmente, acredito que até seria o oposto, essas crianças seriam muitos mais fortes e maduras emocionalmente, primeiro porque lidaram com a perda, afinal, são crianças abandonadas; em segundo lugar, porque aprenderiam que não são tão diferentes assim de seus pais adotivos, de certa forma, seus pais também são pessoas “abandonadas”, mas o mesmo amor que os une como família, também os fortalece e faz os problemas que venham a enfrentar sejam superados.

    O pior da hipocrisia destes supostos defensores de criancinhas é que eles não adotarão essas crianças invisíveis/imaginárias e não permitem que ninguém mais o faça.

  12. Luciano comentou em 14/09/12 at 23:16

    Existe um princípio basilar no Direito de Família relacionado ao melhor interesse da criança. Significa que se deve perseguir aquilo que seja justamente o que venha a atender as necessidades do menor, quais sejam aquelas relacionadas a sua educação, formação, afeto, carinho, amor e por aí vai. Pois bem, que tal pararmos para refletir um pouco. O que seria melhor, essa criança permanecer isolada e abandonada num orfanato ou ser cuidada por um casal homoafetivo? A resposta é absurdamente óbvia, de modo que não há sequer que se responder. Fora que no nosso ordenamento jurídico, uma pessoa solteira (seja home ou mulher) pode adotar uma criança desde que preencha os requisitos que se relacionem à capacidade de cuidar dela. Assim, se uma pessoa solteira pode adotar, por que não duas pessoas do mesmo sexo? A proibição, neste caso, só teria a explicação relacionada pura e simplesmente ao preconceito, à ignorância, à intolerância de mentes reacionárias e fechadas. Precisamos urgentemente evoluir e nos adequar ao interesse das crianças e à pluralidade da sociedade em um Estado laico.

    • Gunter Jr. comentou em 18/09/12 at 7:04

      Responder:
      ‘duas pessoas do mesmo sexo’
      qual sexo?

      ai e que esta a questao.
      um solteiro de um sexo pode encontrar outra de outro sexo e colocar as coisas no lugar…

  13. Renard comentou em 15/09/12 at 9:45

    O que o sr Carlos Ramalhete parece desconhecer totalmente – assim como os Bolsonnaros, Malafaias e Maltas da vida – é que a família tradicional já está falida faz muito tempo; falida e decadente. Não é a religião que vai resolver o problema e sim a EDUCAÇÃO, tão em baixa há tempos. Tanto faz dois pais, duas mães ou um pai e uma mãe desde que saibam educar a criança. Tanta criança precisando/querendo ser adotada e perde-se um tempo enorme com picuinhas, burocracia etc.

  14. Isabella comentou em 18/09/12 at 11:13

    Querem um ponto final pra essa história: tenham a decência de, antes de abrir a boca pra falar qualquer coisa que seja, contra ou a favor, visitarem um abrigo de crianças e ver a situação que elas vivem! Tenham o mínimo de decência de se colocar no lugar de cada uma dessas crianças, e decidir se vocês não prefeririam ter 2 pais ou 2 mães (ou o que seja), do que ficar largado nesses lugares! Aposto que “2 pais” dariam muito mais amor do que a situação de abandono em que elas vivem! Hipocrisia nível máximo nesse país!

  15. MOISES comentou em 18/09/12 at 17:14

    AINDA QUE ALGUNS DIGAM, A BÍBLIA NÃO MUDOU!
    ACORDEM QUERIDOS, ATÉ A VOLTA DE JESUS AINDA HÁ TEMPO!
    JESUS VOS AMA!
    Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.
    Hebreus 13:8
    Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
    João 3:16
    Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.
    Mateus 10:32
    Porque ainda um pouquinho de tempo, E o que há de vir virá, e não tardará.
    Hebreus 10:37
    O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.
    2 Pedro 3:9
    Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele,
    Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto.
    Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,
    O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.
    Não vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco?
    E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado.
    Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado;
    E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;
    A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira,
    E com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem.
    E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira;
    Para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade.
    2 Tessalonicenses 2:1-12
    Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus?
    Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.
    1 Coríntios 6:9-10
    Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.
    Apocalipse 21:8

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Folha Shop