Blogay

A contribuição dos gays, lésbicas e travestis para o mundo

 -

Blogay é editado pelo jornalista e roteirista Vitor Angelo

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Feliciano, Putin e a cultura do ódio

Por Vitor Angelo

O que Marco Feliciano e Vladimir Putin têm em comum? Além do autoritarismo latente, ele pregam mais do que um desapego à racionalidade, ele incitam o discurso de ódio contra os homossexuais.

O atual presidente da Comissão dos Direitos Humanos e Minorias da Câmara não só ataca deliberadamente os LGBTs com discursos raivosos e intolerantes como ao ser atacado em um avião, não perde o tempo e já culpa os ativistas gays.

Como Marcelo Coelho dissertou em sua coluna na Folha, até podemos não apontar o deputado federal como fascista, mas pelo simples fato de ainda estarmos em um regime democrático, mas há nele sim um protofascismo latente.

Basta entender que uma das características mais fortes do fascismo é gerar um sentimento de medo e ansiedade nas pessoas em relação a um grupo específico. Basta entender o significado da propagação da ideia de uma possível “ditadura gay” feita pelo pastor político e demais religiosos fundamentalistas para entender o quanto de protofascismo reside em seus discursos.

Ele sempre que pode diz ser vítima dos LGBTs que o perseguem e nada cita os grupos de militantes negros ou feministas, nem mesmo grupos evangélicos que o rejeitam. O mesmo fez com a trollagem que recebeu no episódio do avião. “Eram ativistas gays”, brandou o deputado. Depois, os dois rapazes eram e se declararam heterossexuais.

Com isto, Feliciano alimentou a cultura de ódio que podemos ver muito bem nestes comentários dos fiéis de Feliciano:

Comentários dos fieis de Feliciano na rede social (Reprodução/Facebook)

Putin, por sua vez, seguiu a tradição russa tanto de autoritarismo como de perseguição dos homossexuais. As relações entre homens era tolerada até Pedro 1º da Rússia (1672 – 1725) proibi-las para que o país se sintonizasse com a Europa da época. Com os primeiros anos da revolução comunista, os homossexuais tiveram um pouco de liberdade para logo na sequência perde-las com o stanilismo que enxergava a homossexualidade como um sinal da decadência do capitalismo.

Recentemente, o todo poderoso da Rússia assinou duas leis que proíbem que a propaganda gay seja considerada crime e nem a palavra homossexual possa sequer ser citada ou falada. Além disto, mistura homossexualidade com pedofilia. Assim como Feliciano, Putin é um protofascista que escolheu os LGBTs como seus inimigos.

É o golpe final a um país onde ser homossexual é poder correr risco de vida. O discurso de ódio de Putin tem gerado situações como esta:

E ainda tem este vídeo falado em russo mas as imagens dizem por si:

[youtube gGwWPgtCkLM nolink]

 

Blogs da Folha

Mais acessadas

Nada encontrado

Categorias

Publicidade
Publicidade
Publicidade