Blogay

A contribuição dos gays, lésbicas e travestis para o mundo

 -

Blogay é editado pelo jornalista e roteirista Vitor Angelo

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

A Parada Gay, números e o Datafolha

Por Vitor Angelo

A divulgação dos números de participantes da Parada Gay de São Paulo pelo Datafolha, na última  segunda-feira (11), gerou controvérsia entre os organizadores do evento e militantes. Foram contabilizados 270 mil participantes.

“Fiquei sabendo não pelo jornal, mas pelo Silas Malafaia [famoso opositor do movimento gay], comemorando os números. Ele não teve o pudor de desmerecer a Parada e chamá-la de grande mentira. Para quem serve esta pesquisa afinal?”, disse Luís Arruda, um dos coordenadores do grupo Mães Pela Igualdade para o Blogay.

A festa de Malafaia com os números da Parada fizeram com que uma avaliação científica [que não por isto não possa ser questionada] caísse no terreno das ideologias. É o que aponta o ex-DJ Marcos Morcef e hoje autointitulado agitador político: “Foi declarado um jogo entre o subestimado [Datafolha] versus o superestimado [Parada Gay]. Cabo de guerra fail [fracassado] e ambos fora da realidade. Falta sensibilidade para o real movimento social, mas é inegável que o Datafolha cumpriu, mesmo sem querer, um papel positivo para os ultramegaconservadores”.

A associação da Parada soltou uma nota na quarta-feira (13), e a Folha publicou não só a nota como também alguns esclarecimentos apontados pela organização do evento.

Mesmo assim, uma matéria publicada pela Folha sobre o lixo produzido na Parada trouxe outros questionamentos.  “Folha diz que na Parada havia apenas 270 mil pessoas, por outro lado  deixaram 117 toneladas de lixo na rua, que dizer, cada pessoa deixou 0,433 kg de lixo, ou seja, cada LGBT produz quase meio quilo de lixo, o que é um número quase impossível ou somos muito porcos mesmo”, protestou ironicamente Ivone Pita, moderadora do Grupo Todos contra a Homofobia, Lesbofobia e Transfobia .

A matéria do lixo na Parada também trouxe indignação do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ). Mas por outro motivo. “Estou esperando as estatísticas da Folha sobre o próximo Carnaval: a quantidade de lixo produzido, de garrafas apreendidas… Começa-se com a Parada Gay, termina-se com o Carnaval… Só sobrarão as Marchas para Jesus, que são corretas e virtuosas, não é?”, escreveu em seu Twitter questionando a pauta.

Mensagem de agradecimento dos organizadores da Parada de São Paulo (Divulgação)

Blogs da Folha