Blogay

A contribuição dos gays, lésbicas e travestis para o mundo

 -

Blogay é editado pelo jornalista e roteirista Vitor Angelo

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Morrissey canta na nova cidade dos párias

Por Vitor Angelo
Morrissey em São Paulo (Adriano Vizoni/Folhapress)

Morrissey se auto-intitula rei dos párias. Um antimonarquista que veio da terra da realeza mais poderosa do mundo: pária. Um homossexual que recusa-se a entrar nos cremes e exercícios físicos do modo de vida gay: pária. Um homem que até alguns anos atrás se dizia celibatário no mundo hiper sexualizado: pária. Um artista que insiste no discurso político em seus shows para uma crítica nervosa que só quer analisar entretenimento: pária.

Neste domingo, 11, o cantor se apresentou em São Paulo, talvez a mais nova cidade dos párias. Aqueles que andam de bicicleta como meio de transporte são párias em São Paulo. Os viciados em crack. que foram expulsos da Cracolândia em um ato supostamente mais político do que ligado à saúde pública e não tem nem centro especial para se tratarem, são párias em São Paulo. Os gays, que apanham de gangues covardes na Paulista ou em qualquer outra região da cidade, são párias em São Paulo. Quem é artista de rua, aqui na capital paulista, virou marginal e pode ser preso, eles são párias em São Paulo. Os que são contra a especulação imobiliária, que parece ser de grande interesse da prefeitura, e lutam para que finalmente seja implantado um parque na rua Augusta com a Caio Prado, são párias. E você que hoje bebe sua cerveja na calçada pode se preparar, você pode ser o mais novo pária a entrar nessa turma de excluídos da cidade de hoje.

A vinda do rei dos párias lotou o Espaço das Américas de párias – simbólicos, é claro, porque os párias de natureza profunda nunca entram em lugar nenhum, só são expulsos. Mas ali, naquela 1h30 de show, os párias puderam se sentir menos isolados e desprotegidos dessa cidade que parece entrar em um triste ocaso.

Mas nem tudo é desesperança, o próprio Morrissey nos faz cantar em plenos pulmões: “Há uma luz que nunca se apaga”, mesmo e porque você é um pária, isto é, um sobrevivente.

[youtube 39KgT7r2V74 nolink]

Blogs da Folha